terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Manifesto ao Rolezinho

Minha presença te incomoda
Mas minha ausência não
Se me encontro vivo ou morto
Pouco importa
Desde que permaneça oculto
Se me alimento ou não
Pouco importa
Desde que permaneça oculto
Provocam-me a sede por consumir
Roupas de grife
Carros importados
Bebidas caras
Busco ostentação
Também quero fazer parte
Do banquete do consumo
Minhas marcas de pobreza
Causam-lhe repulsa e medo?
Porque tanta truculência,
Seu policial?
Seu patrão não deve gostar
Da cor da minha pele
Do CEP de onde moro
Do som que escuto
Deixe-nos entrar nos seus shoppings
Entoaremos nossos “hinos”
Conclamando a ostentação
Só iremos roubar a exclusividade
De contemplar as mercadorias
Uma vez ou outra até consumir
Não somos vândalos e nem marginais
Minha presença te incomoda
Mas minha ausência não.