quinta-feira, 28 de junho de 2007

Exaltação à despedida

O mundo não pára quando minha cabeça dói,
nem mesmo quando a sensação é de que vai explodir.
O mundo não pára quando desisto de tudo
e ponho fim dramaticamente em minhas angustias.
Ele não pára nem mesmo quando o mar engole vilas inteiras.
Nem mesmo quando temos a pior transa de nossas vidas.
Nem quando de fome, morre aqueles que nunca são lembrados.
Mesmo quando milhares de crianças morrem,
o mundo não pára!
Ele não pára atrevidamente nem quando meu time é campeão.
Nem quando percebemos mesmo que tarde, que estamos vivendo um grande amor.
Não, não, não pára mesmo que abundemos o mundo de felicidade.
O mundo não pára,
nem quando a carta tão aguardada é entregue pelo carteiro,
nem mesmo quando grandes amigos voltam a fazer parte de nossas vidas,
nem quando desfrutamos de uma noite inteira de orgasmos mais do que múltiplos,
o mundo não pára.
Demorou, mas aprendi que o mundo não pára,
só porque eu egoistamente, mediocremente quero que ele pare
Não... não... não... não...
O mundo não pára
Nós paramos...

Minha querida pátria, terra de puteados.

Minha mãe sempre disse que a nossa casa era um lugar de respeito,
Que tínhamos que zelar por sua imagem.
A escola me ensinou que o Brasil era a minha pátria, ou melhor, casa!
Câmaras de vereadores, assembléias de deputados (estaduais e federal), senado e congresso nacional! ... Judiciário e Executivo!!!
Hoje entendo porque sou fascinado por puteiros...