quinta-feira, 12 de abril de 2012

Do outro lado do texto


Logo depois de escrito
inicia-se o abismo
entre o texto
e seu autor.
O leitor
franze a testa,
fixa os olhos
se prepara.
Relembra o autor
e começa suas
conexões
e
julgamentos,
busca sentido
atribuí caminhos,
exalta
ou
exclui.
Nasce
assim
a
critica. 

domingo, 8 de abril de 2012

Alta complexidade, simples!


Sussurra o conflito em dias de festa:
Para onde caminha perdida a humanidade?
Na relação entre viver e sonhar
Aprisiona milhões em beneficio de poucos
No topo além das nuvens, vislumbram
poucos
Na base amontoados e famintos, celebram
muitos

Ofendem-se com o espelho
Revelando as rugas dos séculos,
Multiplicam-se aos bilhões
Inversamente aos gafanhotos,
Em sua lógica de consumo
Apenas centenas
Devastam

Das sobras e das migalhas
Brotam
Caridade
                Filantropia
                               Tecnologia social

Muitos sonham em nascer
Cachorros
Desses que frequentam Pet shop
Tem roupas para o frio
Ração para cada fase da vida
Pessoas que adotam com amor,
Sem os devolver quando latem demasiadamente
Até hotel quando não podem acompanhar seus donos
Entre um bolero e um funk
Nas certezas incertas da humanidade
Desfila o conflito, esbelta e confiante.